Os ciclos naturais do corpo feminino

Entenda como o corpo feminino funciona sexualmente. Neste post vamos falar quais são os ciclos sexuais do corpo feminino, as funções dos hormônios, o papel do estrógeno, menopausa e detalhes sobre o orgasmo feminino.

Ciclos

No período fértil da mulher, os ovários se revezam mensalmente para produzir um óvulo maduro. Quando o óvulo é liberado, viaja através das tubas uterinas até o útero. Uma mulher pode engravidar (naturalmente) se o espermatozoide alcançar o óvulo. O colo do útero é a porta de entrada para o esperma.

Um óvulo permanece fértil apenas por 2 dias. Se uma mulher não engravidar nesse período, o revestimento do útero é eliminado como fluxo menstrual. Se a mulher engravidar, o revestimento protegerá o bebê durante a gestação. Estes ciclos regulares do corpo feminino são mensais e controlados pelos hormônios.

Hormônios

Os ovários geralmente param de produzir óvulos e reduzem significativamente seus hormônios por volta dos 50 anos, embora essa idade varie de uma mulher para outra. A última menstruação é denominada menopausa. Algumas mulheres temem que o desejo sexual diminua com a menopausa. Mas, para muitas mulheres, a queda na produção dos hormônios ovarianos não diminui o desejo sexual.

Os hormônios que ajudam a mulher a sentir desejo são denominados estrógenos e andrógenos. Os andrógenos são considerados como hormônios “masculinos”, mas o corpo da mulher também produz pequenas quantidades deles. Cerca de metade dos andrógenos em mulheres são produzidos pelas glândulas suprarrenais. Os ovários produzem o restante dos andrógenos da mulher. Após a menopausa, as glândulas adrenais continuam produzindo hormônios, mesmo depois que os ovários parem de produzi-lo em quantidade suficiente para manter o desejo sexual.

A maioria das mulheres mantém o desejo sexual mesmo quando seu corpo está em processo de alterações hormonais, como durante o ciclo menstrual, gravidez, menopausa ou com o uso de anticoncepcionais.

Papel do Estrógeno

O estrógeno ajuda a manter a vagina úmida e flexível, o que ajuda quando a mulher está sexualmente excitada. Quando uma mulher não está excitada, sua vagina não é um túnel aberto, como alguns pensam. Em vez disso, ela fica relaxada e com suas paredes juntas. Quando começa a excitação, a vagina fica mais longa e mais larga. As células que revestem a vagina secretam gotículas de líquido (ou lubrificante) que fazem que fique escorregadia. Estas alterações dependem do hormônio estrógeno. Se os níveis de estrógeno de uma mulher são baixos, como após a menopausa, estas mudanças na vagina podem ocorrer mais lentamente.

Sem estrógeno:

  • A camada de células que cobre a vagina fica mais fina;
  • As paredes vaginais perdem sua elasticidade;
  • A vagina pode ficar um pouco apertada e seca, mesmo se você está muito excitada. Isso é chamado de atrofia vaginal.

Orgasmo Feminino

Quando a mulher está excitada sexualmente, seu sistema nervoso envia sinais de prazer para o cérebro. Se ela é estimulada, por exemplo, tocando ou acariciando, os sinais se intensificam e podem desencadear um orgasmo. Durante o orgasmo, os músculos ao redor dos órgãos genitais contraem-se de maneira rítmica. A súbita liberação de tensão muscular envia ondas de prazer através da área genital e, às vezes, por todo o corpo. Depois, a mulher se sente relaxada e satisfeita.

O orgasmo feminino pode mudar de tempos em tempos. Às vezes ela pode não ter nenhum ou pode ter vários durante a relação. Como parte do processo de envelhecimento natural, os orgasmos podem demorar mais para acontecer. E pode também ser necessário mais estímulo para alcançá-los.

Como o Orgasmo acontece

Um orgasmo é um reflexo natural, mas a maioria das mulheres precisa de alguma experiência para aprender a provocá-lo. Muitas vezes é mais difícil atingir o orgasmo durante a relação sexual, do que através do toque da área genital externa, geralmente em cima ou perto do clitóris. Cerca de 1 em 3 mulheres não alcançam o orgasmo sem alguma excitação extra além da penetração. Não está comprovado que orgasmos durante a relação sexual são melhores do que outros orgasmos. Além disso, orgasmos nos quais o casal busca o clímax ao mesmo tempo podem não ser um objetivo realístico.

Existem muitas fontes de excitação que levam ao orgasmo. Elas são diferentes para cada mulher. Algumas mulheres podem atingir o orgasmo apenas por ter uma fantasia vivida sobre sexo ou por ter seus seios acariciados. Outras podem ter um orgasmo durante o sono. Mas, a maioria das mulheres precisa tocar e acariciar seus órgãos genitais para atingir o orgasmo.

As áreas dos órgãos genitais da mulher mais sensíveis ao toque são o clitóris e os lábios menores. A parte externa da área genital (vulva) inclui os lábios maiores, lábios menores, o clitóris e a entrada da vagina. Os lábios maiores são preenchidos com tecido esponjoso. Eles protegem os delicados lábios menores e o clitóris. A abertura da uretra (o canal que transporta a urina da bexiga) está entre os lábios menores e atrás do clitóris. O ânus se encontra atrás da vagina.

Sinais naturais de excitação

Quando uma mulher está sexualmente excitada, toda a área genital aumenta de volume. Observa-se também um rosa mais escuro, que é o sangue que chega à pele.

Muitas mulheres atingem o orgasmo mais facilmente quando o clitóris é acariciado. Como o pênis, o clitóris tem uma cabeça e um corpo. Sua função é enviar mensagens de prazer ao cérebro quando acariciado. A cabeça do clitóris é tão sensível que pode ficar dolorido com o atrito quando é muito enérgico ou rápido. A dor pode ser prevenida usando um lubrificante e acariciando perto, mas não diretamente a cabeça do clitóris.

Outras áreas, incluindo os lábios maiores e ânus, também podem dar prazer a uma mulher ao serem acariciados. As regiões sensíveis podem ser diferentes de uma mulher a outra. A abertura da vagina contém muitas terminações nervosas. Para algumas mulheres, a parede anterior da vagina (ao lado da bexiga) é mais sensível à pressão durante o sexo do que a parte posterior. Alguns terapeutas sexuais sugerem que acariciar uma área aproximadamente de 1 a 7 centímetros na parede anterior da vagina ajuda algumas mulheres atingir o orgasmo.

Esperamos que esse post tenha sido útil para você e te aproximado ainda mais do seu autoconhecimento e autoestima.

Fonte: Sociedade das Marias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *